O ponto


O ponto! Escrever algo sobre o ponto é algo meio embriagante, mesmo porque é o início de tudo, pelo menos para mim é embriagantemente interessante, algo de tamanho ínfimo infinitamente complexo, que passa tão despercebido, mesmo sendo fundamento de tudo o que fazemos no mundo material.


Quando vejo a manifestação da energia sutil na Terra, vejo o ponto de luz trazendo a expansão. Por que de um ponto a outro se faz a reta, o caminho mais rápido entre dois pontos. O que também me lembra a relação, e que ela se dá entre dois indivíduos ligados, e na minha visão a melhor ligação entre indivíduos é a reta, a Verdade, mas logo mais falamos disso. Voltando ao Ponto. Ponto traz a essência? Porque para mim ele é essencial a tudo, na prática visual, material, vibracional e devocional, magística e mística. É preciso o ponto de força para usar da energia do ambiente ou divindade, ou um ponto focal para mentalizar a magia, para realizar um ritual na sua maior potencialidade entre outros.


Exemplo claro do que trago. Não se oferenda a Oxum em uma tempestade no alto de uma pedreira. Se oferenda a Oxum em um rio ou cachoeira, e oferenda aqui podendo ser também a devoção em oração no local. Outro exemplo usando os elementos como ponto de referência: para movimentação do elemento FOGO dentro do indivíduo além do que vou chamar de inspiração/vontade, é possível usar um ponto riscado como marca que registra a inspiração divina do fogo na TERRA, vinda daquela entidade específica, seja ela orixá, entidade, ou outras representações de manifestação de espíritos, ou mesmo sigilos que manifestam energias através de uma escrita concreta.


O ponto cantado, mantra, oração, vibram no AR, usando dessa vibração para que a energia da inspiração e da concretização se manifeste dentro do um indivíduo em um nível mental, onde os símbolos vão começar a se conectar na psique do indivíduo. Quando o ponto de inspiração se manifesta na ÁGUA, carrega com ele toda expressão emocional que no indivíduo gera toda uma mudança através de uma movimentação emocional essa realidade vai sendo imprimida, onde mais de 60% do corpo é feito de água, e o indivíduo sente as emoções em todo o seu corpo trazendo uma busca na matéria por algo Divino.


O exemplo que trago agora é a fala de Chaka Mani Buda:

“Existem tantos budas quantos grãos de areia no Nilo. Ou estrela no céu.” Um grão de areia e uma estrela tem uma coisa em comum: eles são pontos, vistos pela visão humana. Um na terra nossa Mãe Sagrada, outro no céu nosso Pai Celeste, um abaixo do ser humano, outro acima. Se observar com a visão mais ampla verá que se traçar uma linha reta entre a Terra e o Céu terá entre eles o ser Humano sendo o meio dessa jornada. E assim nasce o indivíduo que é o ponto de equilíbrio essa relação, buscando o equilíbrio de si mesmo.


Tendo uma visão menos mística sobre o ponto, a ciência moderna fez milhares de novas teorias, após expandir o ponto de vista sobre o grão de poeira. Como falei no início deste texto, o ponto se refere ao princípio manifesto do Todo, e como às vezes quase sempre não prestamos a devida atenção ao ponto, então não conseguimos entender onde se deu o principio de tudo. E aí voltamos a frases populares que nos lembram dessa relação, que muitas vezes passam despercebidos como a presença do divino.


Já parou para pensar se tudo no Universo é único e até então quaisquer situações que aconteçam em sua vida, acontece uma vez na mesma linha de tempo? E todas as suas emoções escolhas e pensamentos são únicos na existência desse mesmo Universo. Levando em conta essa perspectiva, vemos que cada ponto da nossa vida, é um ponto único muito próximo a outro ponto único de escolhas sendo riscado nessa linha temporal.


Fica a pergunta: quanto você presta atenção ao ponto?


Minas Gerais, Brasil

  • Instagram

©2020 por Oásis Aflora, criado com Wix.com